7 de abril de 2015

Sei que não tenho postado com frequência aqui e nem estou respondendo os comentários tão rápido quanto era antes, mas já expliquei que tá tudo corrido, e sei que muitas blogueiras também estão assim, então espero que entendam.

Como já disse, agora minha vida está linda escola + curso técnico + curso de inglês = tentando arrumar tempo pra ficar sem fazer nada. Como se não bastasse essas três coisas (que parecem nada, mas ocupam muito o meu tempo), arrumei mais uma coisa para tomar do meu precioso tempo e é sobre isso que vim falar hoje.

Bem… como alguns já sabem, eu estudo em escola técnica (mais conhecida como ETEC), e entre as ETECS acontecem campeonatos de várias coisas: futebol, handball, dança, vôlei, etc. Esses campeonatos são chamados de InterETEC. Até aí tudo bem, tudo ótimo! 
Sábado fiquei sabendo que na segunda (ontem) ia acontecer uma seletiva de canto onde iriam escolher pessoas para formar um grupo e representar a minha escola. Quem já viu o canal sabe que eu gosto de cantar, e já até imaginou que eu fiquei com vontade de participar dessa seletiva. Qual era o problema? Eu estava no interior, sem wi-fi, não fazia ideia de que música cantar e sendo assim, não ensaiei nada, além disso, no mesmo horário da seletiva eu estaria em aula. 
Cheguei em casa no domingo e por volta das 19hs fui pro computador procurar uma música legal e procurei loucamente até que decidi cantar Am I wrong, mas não ensaiei porque eu estava cansada e nem tinha tanta certeza se ia participar, apenas salvei uma versão acústica da música (karaokê) no celular.
No outro dia, decidi que valeria a pena matar a aula, já que não teria nada que fosse muito importante e seria uma experiência nova. Cheguei no anfiteatro tremendo (claro), mas procurei manter a calma.
Eu literalmente dei a cara a tapa: nunca fiz aulas de canto e não tenho noção de nada, apenas sei que canto bem pelo que os outros falam; eu nunca na minha vida havia cantado usando um microfone; era a primeira vez que eu ia cantar sozinha na frente de várias pessoas ao vivo.
Fui, e deu certo! Por incrível que pareça, fiquei tranquila e minha voz saiu (ainda bem), e no final todo mundo aplaudiu (sim, eu estava com medo de alguns tomates voarem na minha cabeça). Os jurados só elogiaram e sim, eu estou no grupo que vai representar a escola!
Isso foi algo muito legal e importante para mim, e por isso estou aqui contando para vocês, e dizendo: dê mais a cara a tapa, faça coisas que você não fez por medo ou insegurança, experimente coisas novas. Isso é bom!
Ah! E se você quiser ver um pedacinho do vídeo da minha apresentação clica aqui
escrito por
Vitória Bruscato

leia também

    Mulher-martelo
    O poder das músicas sobre nós
    TAG: Eu amo essa música!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Comentários

No Instagram

Nos acompanhe!