Há um tempo, ouvi falar dessa série e anotei em algum lugar que queria assisti-la, porém acabei deixando o assunto de lado. Depois de um tempo, o Johnny fez um post lá no Baú de canto (blog maravilhoso, vale a pena conferir) sobre The 100, e eu oficialmente decidi que iria assistir.

Quando uma guerra nuclear destruiu a civilização e o planeta Terra, os únicos sobreviventes foram 400 pessoas que estavam em 12 estações espaciais em órbita. 97 anos e três gerações depois, a população já contava com 4 mil pessoas, mas os recursos já vão escassos. Para garantir o futuro, um grupo de cem jovens é enviado à superfície da Terra para descobrir se ela está habitável. Com a sobrevivência da raça humana em suas mãos, estes jovens precisam superar suas diferenças e unir forças para cruzar juntos o seu caminho.

A série conta com quatro temporadas, e já tem a quinta confirmada para 2018 (AMÉM SENHOR). As três primeiras temporadas estão disponíveis no Netflix.

Essa série é incrível. Os personagens lutam para sobreviver a cada segundo e sempre há um conflito atrás do outro. Os conflitos nunca são repetitivos, e eu fico impressionada com a criatividade dos criadores.

Eu não vou me estender muito falando sobre essa série para não ocorrer spoilers 💙

Uma coisa notável e que eu acho muito legal é a mudança de comportamento dos personagens e o quão “aceitável” isso é. Por exemplo, um personagem faz algo horrível, mas você para e pensa: “ele passou por tanta coisa, e está na situação X, algumas medidas drásticas são necessárias.”. O que eu quero dizer é que eles passam por tanta coisa que você compreende o quão necessária é a mudança de comportamento deles para cada situação/conflito da história.

Agora algo que eu achei incrível e preciso compartilhar, porém, se você ainda não assistiu isso será um spoiler (então pule essa parte, ou leia mesmo assim – faça o que preferir).

Início do spoiler

Quem já assistiu sabe que a Terra é habitável, tanto que existem pessoas lá: grounders. Os grounders tem uma língua um tanto quanto estranha, né? Pesquisando, descobri que criaram uma língua só para a série, e é como se fosse uma evolução do inglês. Tanto que em frases como “Yu gonplei ste odon” (sua luta acabou), vemos uma semelhança na palavra Yu = you.

Eu achei isso fantástico e quero aprender o máximo de expressões/palavras possíveis dessa língua!

Fim do spoiler

Uma coisa que eu achei super interessante no post do Johnny, é que no fim, ele colocou “personagens para amar” e “personagens para odiar”, e isso pode variar dependendo da temporada que você assiste.

Eu sou uma pessoa que se gosto de um personagem ou não gosto, é muito difícil eu mudar de opinião em relação a isso. Vou fazer essa listinha também, e sei que alguns personagens que eu gosto vão parecer absurdos pra quem já assistiu a série,  porém, vou me explicar.

Personagens de The 100 para amar

1. Lincoln


Vamos começar pelo fato de que ele é maravilhoso! Acho que é o personagem que eu mais gosto (e quem não ama?)

2. Octavia


Desde o início a gente se apaixona por ela, e essa paixão só cresce mais e mais!

3. Jasper


Ele é um fofo!

4. Monty


Esse menino é incrível (e muito lindo)!

5. Murphy


Esse é o momento que vocês leem e falam “O QUE?”. Sim pessoas, eu gosto do Murphy, ele apenas não é compreendido por todo mundo, mandaram o pai dele flutuar por um motivo que eu não vou contar, porém ele se sente culpado, mas no fundo ele tem um bom coração!

6. Indra


QUE MULHER HEIN MEUS AMIGOS. Queria que ela fosse minha mãe.

Personagens para odiar em The 100

1. Jaha
2. Pike
3. Echo

Só fazem merda, podem odiar a vontade.
Para finalizar, deixo registrado meu amor por essa série e meus sinceros: VAI ASSISTIR LOGO!

Jus drein, jus daun!