@eva.stories



No mês da mulher, acho importantíssimo exaltarmos, mais do que nunca, mulheres incríveis. Eva foi uma delas.



Conheci no Instagram a conta @eva.stories, que conta a história de Eva, uma menina judia de 13 anos que tinha o sonho de ser repórter fotográfica e relatava em seu diário como era viver na época do holocausto.

O projeto feito por Mati Kochavi e Maya Kochavi conta os relatos de Eva, porém via stories no Instagram. A conta de Eva já tem mais de 1 milhão de seguidores. Cada destaque corresponde a um dia estando em ordem de acontecimentos relatados no diário de Eva.

>> Leia também: Playlist: Women's Day!

Eu assisti a todos os stories, me apaixonei por Eva (interpretada por Mia Quiney) e achei o projeto incrível. Nós podemos ter uma pequena ideia de como era viver naquela época. Podemos nos emocionar, rir e ver a inocência de Eva, que apesar de saber o que estava acontecendo, não entendia direito o porque daquela situação.

Conhecemos os avós de Eva, sua mãe e padrasto, sua melhor amiga e seu namorado. Apesar de a história ser contada pelos stories, a produção é incrivelmente bem feita.


Os vídeos são em inglês, assim como tudo o que Eva escreve nos stories. Mesmo que você não entenda bem a língua, ao assistir é possível entender o contexto geral.

Eu realmente gostei do projeto e fiz uma tradução livre (leia: traduzi como consegui, afinal não sou proficiente em inglês) de alguns dos stories.



"Annie me disse que precisamos ter muito cuidado
Eles podem fazer o que quiserem com a gente
Ninguém pode nos proteger."



De acordo com testemunhas que sobreviveram,
Eva nunca parou de lutar para permanecer viva.
O sonho de Eva era se tornar uma famosa
fotógrafa de notícias.

Eva,
esperamos que através deste projeto,
tenhamos tornado seu sonho realidade.



Em memória aos 6 milhões de judeus que viveram no holocausto.


Você já conhecia o perfil da Eva? Vai assistir?

10 comentários

  1. Que projeto mais incrível. Acabei de dar uma olhada no instagram e, realmente, é impecável, embora assustador pensar que algo semelhante possa acontecer nos dias de hoje e que a gente vai poder registrar tudo pelo celular! Fazendo um paralelo com a situação atual das coisas, não está muito longe disso...
    Obrigada por nos apresentar esse trabalho <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O projeto é lindo, mas pensando por esse lado é assustador mesmo :(

      Excluir
  2. Que legal, muito criativo e interessante. Muito obrigada pela sua indicação, esse tipo de coisa é realmente útil para nós, faz parte da história.

    ResponderExcluir
  3. Caramba...

    A princípio isso é tudo o que eu sequer CONSIGO falar sobre o peso absurdo desse projeto. Deve ser SUPER pesado assistir aos Stories e acompanhar a vida dela, mas segui o perfil e farei isso assim que possível. Parabéns demais pra equipe, né? Um jeito criativo e original de passar uma realidade que a gente não pode esquecer, não importa quanto tempo passa.

    Achei um mimo você ter traduzido alguns textos! Arrasou!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhul, adoro mimos, hahaha!

      É meio pesado de assistir mesmo, mas é um projeto incrível!

      Excluir
  4. Caramba, que ideia legal a desse perfil. Acho incrível quando damos voz a pessoas que não tiveram esse direito no passado. Valeu por divulgar, achei interessantíssimo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, é um projeto incrível! Fico feliz que tenha gostado! :)

      Excluir
  5. Nossa, eu nem fazia ideia desse projeto! Obrigada pela dica, eu visitei o perfil e assisti aos stories. Achei muito genial a ideia, afinal já existem certos livros também de histórias reais de pessoas que viveram nessa época e sofreram - morreram - por causa do nazismo e que só conhecemos hoje devido ao hábito de escreverem um diário na época (posteriormente transformados em livro). Mas transformar as entradas do diário da Eva em stories foi uma forma de tornar mais dinâmico, trazer para o presente e levar a história dela, também, a pessoas que têm acesso ao instagram mas que, dificilmente, leria caso fosse um livro (uma pena mas existem pessoas que não leem). Ou seja, tem o potencial de atingir mais pessoas. Fiquei imaginando se existisse mesmo smartphone no passado, os registros que teríamos hoje (e também o tanto de coisa que teria acontecido diferente). Também achei legal terem feito a homenagem à menina, que sonhava em ser repórter e, de alguma forma, terem tentando tornado isso realidade mesmo que ela não tenha sobrevivido para saber.

    Au revoir ♡
    Tecer Flores e Cheirar Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficou incrível, né? Acho que se tivessem celular e acesso à internet antes, como temos agora, as coisas seriam bem diferentes, porque pelo que vejo de pautas políticas hoje é que a internet acaba dando mais voz ao povo, e isso por muitas vezes acaba mudando alguns cenários...

      Excluir