Em um post que fiz aqui, recebi um comentário da Emily Ferreira, do blog Meu Melhor Momento, dizendo que se interessava pelo curso de Design de Interiores e que tinha algumas dúvidas em relação ao curso. Para quem não sabe, eu estou no terceiro ano e último semestre desse curso técnico e acho que já consigo responder algumas dúvidas em relação ao curso e tentar ajudar quem quer saber sobre, não é?

Então vou responder às dúvidas da Emily, e perguntei em alguns grupos de blogueiras (que estão todos “linkados” no final deste post) se elas tinham dúvidas também. Vou responder tudo o que sei aqui e tentar ajudar vocês ao máximo.

E, caso você tenha alguma dúvida que não foi respondida nesse post, pode questionar nos comentários, que eu tento ajudar!


1. A gente aprende a atender as necessidades do cliente?



“Gostaria de saber o que realmente se aprende no curso. Já vi provas de vestibular específica para Design de Interiores e a proposta era desenhar um ambiente para uma família de um casal de 30 anos, pais de gêmeos de um menino de 1 e uma menina de 5 anos. Vocês tem alguma matéria que explique essas coisas?” – Emily


Quando vamos realizar um projeto, nós precisamos de informações básicas sobre o cliente (como essas citadas na pergunta), para saber quais são as necessidades básicas e o que é essencial para o projeto. Nós fazemos projetos em diversas matérias, e sempre os professores passam um perfil de cliente ao qual devemos atender às necessidades, então aprendemos como lidar com esse tipo de situação sim, e em várias matérias diferentes.

2. Quem não desenha, consegue acompanhar o ritmo do curso?

Sim! Você entra em um curso para aprender! Então você vai aprender a desenhar, e vou te dizer: mesmo quem já desenha, acaba tendo um pouco de dificuldade, até porque nós fazemos muitos desenhos técnicos (com esquadros, réguas, escalímetro, compasso, etc), que requerem cuidado e atenção.

3. Qual matéria que mais gostou e menos gostou?

Dentro de uma matéria nós aprendemos vários conteúdos diferentes, e os cursos, dependendo do lugar, tem matérias com o nome diferente, porém o conteúdo sempre será o mesmo.
A que eu mais gosto, provavelmente é ilustração. Eu adoro pintar e aprender diferentes maneiras de fazer isso.
A que eu menos gosto é luminotécnica. É muito chato ter que calcular a quantidade de luz que um ambiente precisa!
Uma publicação compartilhada por Vit|oncé 🐝 (@bruscato_vit) em

Uma publicação compartilhada por Vit|oncé 🐝 (@bruscato_vit) em

4 – Quais as diferenças entre design de interiores e arquitetura?

O designer de interiores projeta, decora, muda um ambiente de acordo com os desejos do cliente, porém, quando falamos em parte estrutural (por exemplo, derrubar e construir paredes), vários designers sabem fazer tais coisas, porém, não podem pois é ilegal. Tais trabalhos devem ser feitos por arquitetos ou engenheiros. Eu, particularmente, acho o termo “interiores” bacana para descrever o designer, já que nosso trabalho fica delimitado mais a áreas interiores mesmo.

5 – Tem muita matemática?

Não! Nós costumamos dizer que designers são bem “humanas” (leiam: preguiçosos), então fazemos contas sim, porém coisas simples e super fáceis de entender, sempre com calculadora do lado.

6 – Minha expectativa vs. Realidade do curso

Eu entrei no curso pelo simples fato de gostar muito de decoração e achei que seria legal saber mais sobre isso. Eu realmente achava que eu aprenderia a combinar um sofá com um tapete e TCHARAN (que vergonha)!
É bem mais complicado do que parece. Nós aprendemos desenho técnico (que é chatinho, mas depois que você aprende, fica gostoso de fazer), ilustração (muitas folhas rasgadas), passamos madrugadas acordadas terminando projetos, temos que pesquisar preço de todos os produtos/móveis que iremos usar, isso quando não desenhamos nossos próprios móveis (muita treta), e muito mais coisas!

7 – Como é o mercado de trabalho e como se destacar na área?

Essa pergunta me pegou. Hoje em dia existem várias pessoas fazendo DIYs por aí e que acham que não precisam de um designer para realizar um projeto. Essas pessoas certamente não sabem nem um terço do que a gente faz, infelizmente. 
Infelizmente, meu curso não prepara muito a gente para o mercado de trabalho não. A gente realmente não sabe o que nos espera lá fora e nem temos muito contato com profissionais da área, além dos nossos professores que – cá entre nós – já estão com a vida ganha e tentam nos fazer pensar que tudo será maravilhoso ao concluirmos o curso, porém sabemos que não é bem assim.
Uma publicação compartilhada por Vit|oncé 🐝 (@bruscato_vit) em

Essas foram as perguntas que recebi e consegui (ou não) responder! Você ainda tem alguma dúvida? Pode me perguntar!

Espero ter ajudado vocês. E, ah! Os grupos que citei lá no início do post (onde pedi as perguntas) são esses amores: United BlogsA Corte VermelhaLiga Blogesfera.