The Circle é um reality show produzido pela Netflix. Tem as edições da França, Estados Unidos, e recentemente ganhou a versão Brasileira.

9 jogadores vivem no mesmo prédio, porém em apartamentos diferentes. Eles nunca se viram antes e só conseguem se comunicar através do Circle, uma rede social ativada por comando de voz. Frequentemente, os participantes devem fazer avaliações, colocando em primeiro lugar quem eles mais gostam e em último quem menos gostam. Os primeiros colocados viram influenciadores e devem bloquear alguém. O participante bloqueado deixa a competição, dando lugar a um novo jogador. 

Eu assisti (devorei) a versão brasileira do reality e fiquei encantada. Assim que terminei, assisti a dos Estados Unidos também, agora só falta a da França.

O reality é incrível, o formato de programa, a ideia de os participantes “morarem” dentro de uma rede social, a locação que eles usam para fazer a gravação, é tudo incrível! Você se apaixona e torce por alguns participantes, pega raiva de outros, e quando vê, o programa já acabou.

Ambas as edições me deixaram pensativa a respeito das redes sociais e da mensagem que o reality passa. É disso que vou falar hoje. Das 4 lições que eu aprendi com The Circle.

1. A primeira impressão nem sempre é a que fica

Como espectadora, tiveram muitos participantes que eu não gostei à primeira vista, e depois me apaixonei. Assim como outros que eu gostava, mas acabaram se mostrando não tão legais. 
Dentro do reality isso também acontecia. Os participantes torciam o nariz para novos jogadores, mas depois acabavam se apegando a eles, ou o contrário.
Pensando nisso tudo, acho que sempre devemos dar uma chance às pessoas de mostrarem quem elas realmente são, pois não dá para conhecer uma pessoa por inteiro só de olhá-la.

2. A aparência importa muito na internet

Isso não é novidade nenhuma. Mas é frustrante parar pra pensar o quão real isso é. Muitos jogadores entram na competição com perfis fakes, usando fotos de outras pessoas ou mentindo dados como idade e profissão. Tudo isso para que elas sejam mais aceitas dentro da rede e do jogo. 
Isso acontece em qualquer rede. Só postamos as melhores fotos, compartilhamos notícias boas e momentos felizes, tudo para parecer perfeitos e sermos aceitos. Isso é horrível.

3. Nem tudo é o que parece

Como eu citei acima, muitas pessoas entram com perfis fakes, e quantos desses não existem na internet, não é mesmo? É sempre bom ficar esperto.

4. No final das contas, ser você mesmo é a melhor solução

Em ambas as edições que assisti, percebi que o que realmente foi importante para os jogadores chegarem na final, foi a autenticidade e sinceridade de cada um. Mesmo os que entravam usando fotos e nomes de outra pessoa, mas tinham atitudes verdadeiras dentro do jogo, se deram bem, e eu fiquei muito feliz em ver isso acontecendo. As redes sociais não foram feitas para agradar, mas sim para socializar e manter contato com pessoas importantes. Então, seja você mesmo.


Você conhecia o reality? Já assistiu alguma edição? Me conta!